O QUE É SEO BLACK HAT? GREY HAT? WHITE HAT?

Antes de partir para técnicas Black Hat, tenha em mente que a razão pela qual você deve conhecer estas técnicas é para que não as utilize por acidente, muito menos intencionalmente, pois, como mencionado anteriormente, elas são práticas não recomendadas por search engines.

SEO BLACK HAT

Para cada técnica de White Hat SEO, quase sempre, existe uma versão black hat dela.

BLACK HAT O QUE É

O black hat SEO, o lado negro da força de SEO, visa ganhos financeiros rápidos, porém não sustentáveis. Quem usa este tipo de estratégia preocupa-se mais em otimizar o conteúdo focando somente nos motores de busca, sem considerar os usuários.

Se você acompanha os meus artigos, já deve estar cansado de ler o quanto o usuário é importante. Então não é preciso dizer que black hat é uma estratégia que eu jamais recomendaria, certo?

O Google, buscando sempre os melhores resultados para seu público, atualiza com uma frequência enorme os seus algoritmos. Com isso, a abordagem do black hat SEO acaba resultando em páginas de baixa qualidade, que são banidas rapidamente.

É possível ganhar algum dinheiro em pouco tempo, mas você será bloqueado pelas atualizações dos mecanismos de busca e terá, sempre, que arrumar novos meios de burlar as normas, impossibilitando a construção de um legado a longo prazo.

Melhor seria investir esse tempo para aprender a fazer SEO de qualidade, concorda? Talvez esses termos sejam novidades para você, mas o SEO de qualidade, que eu sempre ensino em meu blog, é chamado de white hat SEO.

A questão do termo “hat” ser usado, aqui, é interessante. Faz referência aos antigos filmes de faroeste, em que mocinho e bandido eram representados por chapéus brancos e pretos, respectivamente.

Talvez essa ideia de “mocinho” e “bandido” não seja a ideal para o assunto. Está mais para defensores (white hat) e infratores (black hat). E se eu disser que existe, também, um gray hat?

Confundi? Não se preocupe! Vou explicar tudo sobre a diferença dessas nomenclaturas todas, agora mesmo.

QUAL A DIFERENCIA ENTRE AS TÉCNICAS

Agora que você já entendeu o que black hat SEO, vamos esclarecer a diferença entre as técnicas consideradas black hat, white hat ou gray hat.

Cada nomenclatura dessas faz referência às práticas de SEO, que mudam entre elas e que são importantes para garantir os melhores resultados para o seu negócio.

White Hat SEO

White Hat SEO é o nome que se dá às boas práticas realizadas a fim de melhorar o ranqueamento de um site nos motores de busca. As estratégias white hat estão sempre de acordo com as diretrizes do Google, e têm o usuário em primeiro lugar.

Alguns exemplos são a criação de conteúdos de qualidade, participação em blogs, boa atividade em redes sociais, considerando nichos e segmentos voltados à sua marca, cuidados de usabilidade e criação de sites amigáveis para dispositivos móveis.

Black Hat SEO

O black hat SEO, ao contrário, são as práticas maliciosas, criadas com o objetivo de burlar as regras do Google. Isso significa que o profissional compreende o funcionamento dos algoritmos e, com isso, procura brechas para se aproveitar da lógica, desconsiderando usabilidade ou experiência de usuário.

É o caso de, por exemplo, explorar a palavra-chave em exagero, com um conteúdo sem qualidade mas uma repetição alta do termo principal.

Isso foi muito usado, diversas vezes, e por conta disso o Google precisa se reinventar constantemente – e é, também, por causa dos profissionais black hat que o Google não pode contar os fatores que influenciam o ranking.

Gray Hat SEO

O gray hat SEO é uma mistura do white o do black. É uma prática não necessariamente boa, mas não necessariamente ruim.

O que isso quer dizer? Que você pode ter um projeto baseado no white hat SEO, mas eventualmente, para algum ponto específico, avançar a linha da legalidade e aplicar alguma técnica black hat para um ranqueamento rápido.

A diferença entre o gray e o black é que o black não se preocupa em usar técnicas ruins em demasia, nem por longos períodos. Já o gray hat procura utilizar as técnicas black hat de forma mais sutil e com prazos curtos, evitando punições do Google.

Alguns exemplos são os envios de emails sem permissão de recebimento, ou comentários em blogs deixados unicamente com a intenção de fazer link building

TECNICAS BLACK HAT MAIS COMUNS

“Atenção não aconselhamos o uso deste método”

As técnicas que selecionei aqui são as mais utilizadas, mas elas podem mudar com uma certa frequência.

Isto porque os algoritmos do Google sofrem constantes atualizações para impedir que empresas burlem as boas práticas de SEO (que, no caso, é exatamente o que o black hat faz).

Eu mesmo, já cometi o erro de fazer coisas absurdas em busca de ganhos rápidos. Eu era jovem e muito criativo, e embora não trabalhe mais da mesma forma, aprendi muito.

Então, vamos às técnicas.

Lembrando que para entender do que se trata e saber reconhecer uma má prática de SEO, é preciso ter esse conhecimento.

Mas não tente dar uma de espertinho: acredite em mim quando digo que o Google não vai permitir que você consiga um bom resultado – pelo menos não por muito tempo!

Keyword Stuffing

Esta é uma técnica de SEO white hat mal implementada.

Acontece quando você abusa do uso de uma palavra-chave, repetindo-a desnecessariamente e prejudicando, inclusive, o sentido do seu texto.

Esta é uma prática prejudicial para o Google e horrível para o usuário.

Já viu sites que usam, no título da página, uma porção de palavras aleatórias e, até, repetidas? Ou textos que a cada parágrafo repete a mesma palavra milhares de vezes?

Isso é o keywords stuffing e os motores de busca identificam a prática como spam. Ou seja: não tente.

Texto Escondido

Se você já seu sobre como como fazer SEO, e já entendeu, neste ponto, a diferença de white hat e black hat, você já sabe dessa regra máxima: o seu conteúdo deve ser relevante para o Google mas também para o usuário.

Assim, fica claro o motivo pelo qual o texto escondido é uma técnica considerada como black hat, porque ela é exatamente o que o nome diz: um texto que fica escondido.

Se fica escondido, que valor teria para o usuário?

Funciona assim: o desenvolvedor procura esconder textos em camadas de código, usando CSS. Assim, o Google “lê” o conteúdo, mas ele não existe de verdade na página – o usuário não consegue enxergar.

Nesse conteúdo escondido, a empresa injeta inúmeras palavras-chave, sem se preocupar com coerência ou coesão, pois ninguém irá ler o texto. Só vai servir para o Google indexar aquela página.

Mas não pense que você não será descoberto… Mentira tem perna curta, já diz o ditado.

Links Escondidos
Os links são importantes para definir o posicionamento de uma página, e é por isso que algumas pessoas inserem no código links escondidos com âncoras exatas, simplesmente com o objetivo de passar PageRank.

Dorway Pages

Esta estratégia funciona assim:

Você tem um site, que pode estar mal otimizado, ter uma performance ruim, enfim, oferecer uma péssima experiência. Então, ao invés de melhorar o seu site, você uma página nova, com um domínio específico, que utilize sua palavra-chave.

Nesta página, estarão conteúdos e uma série de links otimizados para o site verdadeiro (o ruim).

Assim, você garante uma boa posição das páginas que são portas de entrada, mas fará isso enganando o Google (e o usuário).

Cloaked Pages

Cloaked Pages é a criação de duas versões da página: uma super otimizada, sem considerar o usuário e outra amigável para o usuário.

Então, aplica-se no código uma validação, por IP, por exemplo, que vai identificar o visitante do site.

Se o visitante for uma search engine (um robô do mecanismo de busca – seja ele qual for), a página que será renderizada é a super otimizada, para que a indexação daquele conteúdo leve o site ao topo do ranking.

Já se for um usuário normal (uma pessoa, no caso), ele visitará o site amigável, com conteúdo pensado para ele e que, talvez, não seja suficientemente bom para o SEO.

Link Farming

Link farming é, em resumo, uma técnica de Doorway Pages, mas com muitos conjuntos de páginas para a mesma palavra-chave.

É uma criação em massa de links para o seu site através de conjuntos de sites que só estão ali para servir de “intermediador” entre a busca e a sua página verdadeira.

Não faz muito sentido, considerando que você pode investir o mesmo tempo para otimizar o seu site gerando mais valor e trabalhando com conteúdo de qualidade.

Ah sim! E evitando ser penalizado pelo Google.

Vale a pena, não acha?

Spam em Comentários

Esta é uma técnica que pode ser facilmente observada, porque acontece em grande volume ainda nos dias de hoje.

Visando a construção de backlinks, os black hats utilizam scripts para postar, de forma automática, mensagens com links para um determinado site, em comentários de fóruns, blogs e redes sociais.

Certeza que você já se deparou com comentários em notícias no Facebook, por exemplo, com textos como “Curta meu site sobre promoções de passagens áreas: www.linkdosite.com.br”.

Comprar Links

Outra estratégia para construção de backlinks é a compra de links, e essa é uma prática não recomendada pelo Google, a não ser que você use o atributo nofollow.

O nofollow significa que você não tem intenção de manipular o ranking com aquele link negociado. Somente neste caso, essa prática não é considerado black hat. Então, fique atento nos seus atributos follow e nofollow!

Sneaky Redirects

Redirecionamentos sneaky é quando você redireciona o usuário para uma URL diferente daquela que ele clicou.

É lógico que você vai precisar, em diversos momentos, criar redirecionamentos. Como quando você for mudar um site, por exemplo.

O problema é quando esses redirects acontecem com objetivos maliciosos, buscando enganar os motores de busca.

Para fazer isso, você cria uma página, que será a página indexada e que aparecerá nos resultados da busca. Mas ao clicar nela, o usuário é levado para uma outra página, com um conteúdo diferente daquele indexado.

Nem preciso dizer que é péssimo para o usuário, né? Ele clica num link esperando ter um conteúdo, e acaba numa página completamente diferente porque foi levado para ela automaticamente.

Keywords Não Relacionadas

O uso de palavras-chave não relacionadas é considerado black hat porque é semelhante ao keywords stuffing, exceto que, aqui, são palavras-chave que não têm nada a ver com o seu site.

É o caso de você elencar diversas palavras-chaves, que possam ter alguma relevância nas buscas, ainda que sejam de produtos, serviços ou assuntos completamente irrelevantes para o seu conteúdo.

Matt Cutts era chefe da equipe de webspam do Google, e ele tem um artigo interessante sobre keywords não relacionadas.

Conteúdo Duplicado

Uma técnica muito comum entre blogueiros (apenas os desqualificados, tá?) é a de duplicar conteúdos.

Plágio, sabe?

É copiar um conteúdo relevante nas buscas e publicar na sua página como se fosse seu.

E não é somente o conteúdo “grosso” da página, mas meta tags como title, description e imagens, também contam como black hat.

Também vale quando você tem duas URLs escritas de modos diferentes, apontando para o mesmo conteúdo, sem inserir uma tag canonical nas páginas.

Um acesso com “www.meusite.com” e outros apenas com “meusite.com”, por exemplo, já é ser considerado conteúdo duplicado.

PBN – Private Blog Networks

PBN é uma rede de diversos sites e blogs que apontam links para o seu site.

Geralmente, os sites que fazem parte da rede têm boa autoridade, e é por isso que eles conseguem, realmente, ajudar o site que precisa subir no ranking a melhorar o seu posicionamento.

Embora existam, inclusive, empresas dedicadas a este trabalho, o Google está sempre de olho em melhorias para evitar más práticas.

Por isso, quem ainda trabalha com essa técnica precisa tomar diversos cuidados e precauções para não acabar sendo pega – e, com isso, perder muitas posições nos resultados de busca.

DEIXE SEU LIKE